27 de maio de 2010

Estrelas de Playboy 35 anos: Sônia Braga

Essa bela morena, nascida em Maringá, Paraná, começo a carreira aos 18 anos com a peça teatral Hair. Depois foi se tornar a grande estrela do cinema nacional com filmes como "A Dama do Lotação", "Dona Flor e Seus Dois Maridos" e "Eu Te Amo". Sônia Braga não parou mais, e arrebatou a todos de vez na novela Gabriela (baseada na obra de Jorge Amado), onde aparecia no auge de sua juventude e transpirando sensualidade. Eternizou a cena em que Gabriela subia no telhado para pegar uma pipa vestindo um vestidinho curto de alcinha. De beleza brejeira, Sônia ganhou o mundo no filme O Beijo da Mulher-Aranha, quando ganhou o Globo de Ouro como atriz coadjuvante, e foi parar na entrega do Oscar. Nesta mesma época posou para a PLAYBOY americana sob as lentes do fotógrafo Richard Fegley (ensaio que foi publicado aqui em set/84).

Em 1985 Sônia foi viver nos EUA, atuando em filmes e programas de tv, como a participação no seriado Sex in The City. Após 20 anos vivendo no exterior, Sônia esteve uma temporada no Brasil onde participou da novela da Globo, Páginas da Vida, onde interpretou uma famosa escultora internacional. Seus mais recentes filmes nos EUA foram "Baila Comigo" e "Cidade do Silêncio", de 2005 e 2007 respectivamente.



Em julho de 1986, Sônia voltaria a ser capa de PLAYBOY. Desta vez fotografada no Brasil pelo competente Bob Wolfenson. O ensaio trazia um texto exclusivo do escrito, e amigo pessoal, Jorge Amado. Bob e Jorge, foram as únicas exigências de Sônia Braga para fazer este ensaio. Na época Jorge Amado viajava com uma comitiva do presidente Sarney e foi necessário muito esforço do redator-chefe Carlos Costa para localizá-lo numa breve escala entre o norte da África e Portugal. Jorge concordou com entusiasmo, e mandou o poema em prosa que acompanha as fotos, depois de escreve-lo a bordo do avião presidencial.

PRETO E CORPO
Esse foi o título escolhido por Sônia Braga para seu ensaio. No texto as palavras de Jorge Amado: "Já estamos acostumados, eu e Zélia, a encontra-la, a brasileira Sônia Braga, de profissão atriz, nossa filha adotiva, pelas encruzilhadas do mundo. De repente ela surge em Nova York, Milão ou Lisboa, não nas telas do cinema ou TV, mas em carne e osso, o sorriso tímido e enigmático, aquela aura iluminando o rosto. Assim estava em Cannes, quando subiu ao palco de smoking e declarou em vos de pássaro:"Meu nome é Sônia Braga, sou brasileira e declaro inaugurado o Festival Internacional de Cinema". Depois, sentou-se ao nosso lado na sala repleta de celebridades do cinema, das artes, da literatura, além das indóceis starlets. Correu o olhar em torno, sorriu para Zélia, debruçou a cabeça em seu ombro, e disse: "Ói nós aqui!"".

"Costumava dizer que é três vezes minha filha, e assim é. Filha de minhas entranhas, de minha cabeça, de minhas mãos e meus ovos, dela estive grávido longos meses e pari nos partos difíceis de Gabriela e Dona Flor, sou pai e mãe ao mesmo tempo. Foi Gabriela, feita de cravos e canela, foi Dona Flor, a dos dois maridos e um só amor, e levou-as pelo mundo afora, corpo e face de raça mestiça do Brasil."
Jorge Amado

4 comentários:

Luiz Otávio disse...

Uma pequena correção: Sônia foi sim indicada ao Globo de Ouro, mas nunca chegou a ganhar. E jamais foi indicada ao Oscar.

andreporto69 disse...

Isso Luiz!! Bem lembrado. Depois corrijo lá. Valeu!

Kelvelyn disse...

Esse primeiro ensaio dela feito pelo Richard sempre achei bem ruim agora o feito pelo Bob é lindo.

Anônimo disse...

Acho um corpo bem lindo na época lembrando sem fotoshop perfeita e um rosto bregeiro...ah eterna Gabriela!