31 de agosto de 2014

Outtakes de Aline Prado

Os leitores Paulo Ribeiro e Marlon Silveira me provaram aquilo que eu já desconfiava: o ensaio da ex-Globeleza Aline Prado, nossa capa de fevereiro, foi muito mal editado. Eles me enviaram outtakes ótimas by Autumn Sonnichsen que não tiveram a chance de brilhar na edição.

Tirando o momento em que ela aparece com folhas de ouro sobre o corpo, mais posado, que apareceu bem na edição, os outros cliques são mais dramáticos, com composição de cena mais rebuscada, coisa que praticamente não se vê no ensaio - apenas uma foto discreta em que ela samba junto aos ritmistas compõe a matéria. 

Particularmente, minha preferida é a que Aline está no que parece ser uma praça. Perfeita e desbanca uma porção de fotos selecionadas. A primeira que aparece neste post também é excelente, mas as crianças na grade sinalizam uma possibilidade de polêmica desnecessária, apesar de esteticamente bela. Mas isso é só uma amostra. Infelizmente, muitas vezes o que nos é apresentado não representa a qualidade do material produzido por conta de uma edição desequilibrada.


Ótimas, né? Triste pensar que o ensaio poderia ser muito mais bonito, expressivo, equilibrado



Fotos: Autumn Sonnichsen/Playboy.

Redefinindo o conceito de flop

Amanda e seus cabelos ruivos: Playboy completamente no vermelho


Se a situação já não era das melhores, agora se mostrou calamitosa: a edição de maio deste ano, que trouxe a ex-BBB Amanda na capa, é a menos vendida desde que a revista começou a ser auditada, ficando, pela primeira vez, abaixo dos 100 mil exemplares vendidos. Conforme foi publicado no site Publiabril, os dados sobre a edição são os seguintes:



Tiragem: 139.512
Assinaturas: 71.832
Avulsas: 27.511
Circulação líquida: 99.343
Fonte: IVC Maio/2014

De acabar com todas as esperanças. A revista está redefinindo o conceito de fracasso comercial. O que há pouco tempo dizíamos ser uma quantidade irrisória de exemplares vendidos, hoje representa a tiragem total de uma edição. E que não venham com papo de internet, a perda de espaço da mídia física em relação à digital, que há 4 anos Playboy vendeu mais de 400 mil exemplares em um único mês. Tudo isso é reflexo, já disse inúmeras vezes, de quanto o leitor foi desrespeitado nas últimas gestões. O resultado é esse aí, a revista rolando ladeira abaixo.
Pra quem acompanha de perto, é nítido o quanto a revista anda sendo negligenciada. Este mês, por exemplo, enfrentamos um grave problema de acesso à edição de aniversário. Pra começar, um atraso monstro no fechamento da edição, e mais atraso - inacreditável - para chegar às bancas e casas dos assinantes. Na minha cidade a edição de agosto não chegou. Cheguei a perguntar o motivo ao jornaleiro, que me disse ter sido um problema causado pela mudança da empresa distribuidora. Sem dizer que muitos assinantes sequer receberam ainda. Tudo tem limite e é por isso que estão cada vez mais abandonando o barco.
Isso explica a queda brusca do número de assinantes de abril para maio. Ao total, são mais de 7 mil assinantes a menos. Não é brincadeira. É de cair o queixo, mas era uma tragédia anunciada. 

6 anos de Revista que Amamos!

Quase que não me dou conta: ontem, 30/08, o Revista que Amamos completou 6 anos de existência! Nem eu acredito que fui capaz de permanecer esse tempo todo falando sobre a Playboy! 

Hoje, vejo que meu objetivo inicial foi alcançado: ter um arquivo bem completo que contempla um bom período de tempo, possibilitando que o leitor relembre e faça uma leitura da revista e suas decisões, compreendendo sua situação atual. Nesse sentido, o RQA "documentou" uma coleção de acontecimentos de todas as ordens, que eu considero uma contribuição relevante que inexiste em qualquer outra fonte.

São quase 2.500 postagens, visualizações na casa dos milhões e um público fiel que me acompanha desde o início, que percebeu o meu crescimento, o refinamento das minhas críticas e testemunhou todas as confusões em que já me meti. Agora, escrevo isso com um sorriso no rosto. Valeu muito a pena, mesmo que em alguns momentos eu tenha ficado desestimulado, chegando a sentenciar o final do blog - mas a saudade falou mais alto e eu voltei.

Neste momento, vivo uma situação complicada em relação à falta de tempo de cuidar do blog com mais carinho. Nos últimos meses, não consegui produzir mais que 10 postagens, me atendo mais às capas e resenhas dos ensaios, objetos de maior interesse de vocês. Análise da revista como um todo, infelizmente, ficou pra trás. Assim como os comentários a respeito de notas especulativas e afins. O Instagram é onde tenho conseguido falar sobre a revista de uma forma mais dinâmica, por isso, faço questão que sigam o RQA lá: @revistaqueamamos.

Evidente que penso no desapontamento de vocês ao acessar e dar de cara com as mesmas postagens, mas acredito que compreendem que minha vida não se resume a isso e outras coisas requerem minha atenção. Talvez uma hora minha situação melhore e eu volte a injetar conteúdo com mais afinco, talvez o estado em que a revista se encontra inviabilize isso, tudo pode acontecer. Mas, por ora, só tenho a agradecer pela companhia. Fico feliz em ser um blogueiro que não falou aos ventos. Obrigado mesmo!

18 de agosto de 2014

Jessika Alves: ela é um poema

A abertura do ensaio de Jessika Alves, a estrela dos 39 anos de Playboy


Se eu tiver que definir o ensaio de Jessika Alves por Autumn Sonnichsen em uma palavra, escolho "satisfatório". Como antevi, através do material de divulgação, as fotos não são brilhantes, espetaculares, como as edições de aniversário costumam apresentar. Isso, claro, do ponto de vista fotográfico, porque Jessika teve a nudez bem aproveitada - leia-se: mostrou o que tinha que mostrar -, e não há muito o que observar nesse sentido. E Jessika é lindinha, realmente está na contramão do padrão de corpo visto atualmente na revista, e esses dois pontos são suficientes ganhar os leitores.

Se ela mostrou seu corpo às claras, representa uma beleza que entrou em extinção da revista, do que eu estou reclamando, podem se perguntar. É que, em uma edição de aniversário, o olhar para a produção, para a fotografia, para a direção de cena é muito mais exigente, no meu caso. E, pra mim, esse ensaio de Jessika não passa de uma sucessão de fotos just ok, sem muita sensibilidade, que fazem alusão a uma penca de ensaios famosos e deixam a dever em qualidade e sofisticação. Não se diferencia dos outros meses, é só mais um ensaio comum.



Aqui, a doce expressão de Jessika foi ressaltada. Praticamente uma lolita


A produção de moda, por exemplo, é catastrófica. Acho que tinha tudo a ver apostar numa produção que reforce a delicadeza de Jessika, dialogando com o conceito lolita, assim como essa coisa voltada à década de 70, do movimento flower power e tal, mas não funcionou. A impressão que dá é que passaram a ideia pra produtora, que reuniu tudo o que podia de peças com essas características, e quiseram usar tudo. Não dá, ficou caricato. Tem que ter sensatez de usar uma coisa ou outra, só pra dar o tom da coisa. Que coisa horrorosa aquelas rendas em Jessika. E, pra piorar, em dado momento do ensaio, Jessika aparece de corpete (corset, espartilho?) e chicote. Tipo, oi???

Sobre o trabalho feito por Autumn Sonnichsen, continuo achando que ela tem muita dificuldade em assinar uma matéria que não tenha um espírito mais anárquico, de perversão, como os de Nana Gouvêa e Pietra Príncipe, por exemplo. Essa é a identidade fotográfica dela, e quando ela tenta se adequar ao briefing que é passado, que vai na contramão do seu estilo, como no ensaio de Jessika, a coisa fica limitada. E venho sentido a necessidade de a fotógrafa investir mais em iluminação, sua técnica precisa ser menos genérica. Suas matérias não têm aquela luz maravilhosa, que faz a mulher cintilar.



Uma dos momentos mais "poéticos" do ensaio, que representa muito mais a persona pretendida que qualquer rendinha ou florzinha no cabelo


Falando de momentos que mais me agradam no ensaio, gosto das externas em que Jessika está mais livre, em movimento, menos posada. Gosto da do balanço, da que ela aparece correndo e pulando. E das internas amo a da cortina (♥) e uma específica do pôster, em que ela está na cama, com a perna direta dobrada e a esquerda esticada. Senti muita falta de a coisa ter se desenvolvido mais nesse ambiente. Acho que as que ela está à mesa poderiam ser ótimas se ela não tivesse sido estragada por aquela produção de perua velha - nada lolita, né?

Minha avaliação final é que está distante de ser um ensaio que já nasce clássico. É bem lugar-comum. E, mesmo com simplicidade, sem a obrigatoriedade de ter carga dramática, poderia ter sido melhor planejado e executado. Porém, acho que o que deve ser mais valorizado é a beleza de Jessika. No final, é isso o que conta. Mas, como colecionador, gostaria que ela e nós tivéssemos sido presenteados com fotos espetaculares. Só são satisfatórias.


Imagens: Reprodução.

12 de agosto de 2014

Nova edição da Blaypoy na área!

Dando continuidade à homenagem às edições clássicas de Playboy que estão comemorando 15 anos, a Blaypoy, revista digital dedicada aos colecionadores que nasceu do projeto Playbrinks, acaba de disponibilizar a sua segunda edição, que tem Deborah Secco como atração principal. 

Não tenho como não ser tendencioso ao falar do conteúdo, pois mais um vez tive o prazer de trabalhar com Eric Bauer, o mentor de tudo. Então, pra conferir o magnífico trabalho dele, ler as matérias que escrevi e ver a surpreendente reprodução do ensaio de Deborah, acesse: issuu.com/playbrinks

O retorno de vocês é importante para que novas edições venham pela frente. Pra isso, diga o que acharam no Instagram da Playbrinks, @playbrinks, e no do RQA, @revistaqueamamos. Para falar diretamente com o Eric, o e-mail é aloplaybrinks@gmail.com.




Está incrível, a começar pela capa (que tem vários coelhinhos escondidos). Tudo feito com bastante carinho, por e para quem ama a revista. Esperamos que se divirtam lendo

8 de agosto de 2014

Saiu! A capa da edição de aniversário, com Jéssika Alves

Toda a doçura de Jéssica Alves na capa dos 39 anos: aura angelical


Finalmente! Saiu a capa comemorativa dos 39 anos de Playboy, com Jéssika Alves! Depois do material de divulgação bem meia-boca, que me preparou para o pior, me surpreendi diante desta capa. Gostei mesmo. Principalmente pela pose, que a favoreceu muito, deixando-a bem curvilínea, com cinturinha marcada, abdômen perfeito. A lingerie nos seios se dissolve com a cor de sua pele, o que causa pouca distração visual e dá mais ênfase à sua sensualidade. Nesses aspectos, mandaram bem.

Não gosto tanto dessa coroa de flores, talvez uma única em sua orelhinha soasse mais romântico, ou, então, estivesse segurando uma com a mão que está à cabeça, mas dá pra tolerar. A expressão é singela, e adequada ao contexto, e o trabalho de beleza, cabelo e maquiagem, está dentro dos conformes, sem excessos. No que diz respeito ao trabalho gráfico, imagino que as chamadas poderiam ser um pouco mais discretas, mas não compromete do tamanho que estão. A fonte do nome da estrela remete às usadas nos anos 60 e 70, dialogando com a temática do ensaio. E a cor do logotipo caiu perfeitamente com os tons terrosos da capa. Resta saber se será em hot stamp.

O conteúdo parece estar bem interessante. Entrevista bacana, retrospectiva (até que enfim!), reportagens aparentemente mais caprichadas. É esperar pra ter em mãos e conferir. E avaliar o ensaio by Autumn Sonnichsen, que eu realmente espero que seja muito superior ao que já vimos no material de divulgação. Pelo menos o meu medo de ter uma garota interessante em uma capa tosca, passou.

6 de agosto de 2014

Mais preview de Jéssika Alves

Surpreendentemente, Jéssika Alves está fazendo um barulhinho por ter posado para a Playboy, pelo menos na internet, em sites do fofoca. Desde o anúncio de sua capa, pipocam notinhas com declarações e fotos de backstage. E já começaram a aparecer as primeiras fotos oficiais, clicadas por Autumn Sonnichsen. Bacana que a revista esteja promovendo a edição com mais afinco. 

Sobre as fotos, o tema parece ser o encontro da Lolita com uma garota dos anos 70, com referências hippie. Em relação à produção de moda, não gostei muito do que vi até agora, achei até um pouco caricata. E nas fotos "pra valer", embora Jéssika esteja a coisa mais lindinha, toda magrinha e delicadinha, a luz bagaceira da Autumn me incomoda bastante. Acho que se tivesse tirado as fotos com o celular o efeito teria sido o mesmo. Ainda assim, espero por um ótimo ensaio.


Se eu não deixei passar nada batido, essas são todas as fotos de backstage já disponibilizadas (além das já publicadas aqui anteriormente). Entregam bem o clima suave do ensaio


As únicas oficiais que temos. Realmente exalam amadorismo, faltando qualidade fotográfica mais sofisticada. E espero que Jéssika não venha com uma calcinha assim na capa, porque isso já deu



Fotos: Divulgação Playboy.

4 de agosto de 2014

Natália Inoue, provável capa de setembro

Deu no Ego: Natália Inoue, que, pra quem não se recorda, foi apontada como a capa da edição de outubro do ano passado, finalmente poderá estampar a capa da revista, em setembro. A modelo garante que ainda não há nada confirmado, mas que o contato foi feito, demonstrando interesse na realização do trabalho. Apenas respeitando o protocolo adotado por Playboy...

Natália já está com o ensaio pronto, e há bastante tempo. Quem a clicou foi Fred Othero, antes mesmo que fazer o ensaio de Vanessa. O tema para a matéria não poderia ser diferente: Japão, aproveitando o fato de ser a segunda oriental a ganhar capa na história da Playboy brasileira. Só não havia, e talvez não haja ainda, certeza sobre o mês de publicação, mas tudo indica que seja mesmo em setembro.

A relação de Natália com Playboy foi marcada por muitos acontecimentos inacreditáveis envolvendo o ex-diretor de redação. Como eu não tenho o direito de tornar isso público, o motivo de o seu ensaio ter sido adiado por quase um ano permanecerá incógnito, a menos que ela resolva falar. Só adianto uma coisa: essa capa é uma vitória pessoal muito grande pra Natália, depois de tudo o que ela passou.


Vai que é sua, Natália! Que seja uma grande realização pra você estar em Playboy



Foto: Reprodução Instagram.

1 de agosto de 2014

Mais sobre a edição de 39º aniversário

Já estamos em agosto e Playboy está preparando o terreno para a chegada da mais nova edição de aniversário, com Jéssika Alves na capa. Além de fotos de backstage que já foram divulgadas, temos algumas informações sobre a edição mais importante do ano, tais como:


- O ensaio foi clicado no Hotel Fazenda Florença, em Conservatória, Rio de Janeiro.
- O entrevistado é o fotógrafo Sebastião Salgado. Incrível!
- Haverá uma retrospectiva com 39 mulheres abrangendo os 39 anos da revista. Muito bom!
- O lançamento está previsto para 14/08.



As fotos de backstage de Jéssika. Por enquanto, tudo muito discreto


A revista também produziu um pequeno vídeo com Jéssika, quando ela esteve de passagem pela redação, para captar anunciantes. Saca só o pedido da estrela:




Tudo isso acaba despertando uma ansiedadezinha, né?


Fotos: Dell Santhos/Divulgação Playboy.

29 de julho de 2014

Especial "Elas Juntinhas"

Tem nova edição especial da Playboy no pedaço esperando pelo dinheiro dos colecionadores mais compulsivos. Como o título "Elas Juntinhas" sugere, só há fotos de ensaios coletivos: Tchecas, Débora e Denise, Coelhinhas, Garotas do Casseta e As Belas da Praia - todos meia-boca.  

A foto da capa é a mesma usada na versão alternativa da edição das Tchecas, de julho de 2011. Não há menção sobre fotos inéditas, portanto, não compre com essa esperança. A surpresa ficou por conta de terem incluído o ensaio das "Garotas do Casseta", sendo que entre elas uma já até faleceu, o que considero bem deselegante por parte da revista.

Pra quem tem interesse, a edição já está disponível na banca mais próxima. Não é o meu caso.



Tudo isso por menos de 10 dilminhas. Se interessou?



Foto: Instagram @classicosdasmasculinas.